A importância do exercício físico antes e durante a gestação

748

A atividade física é sempre muito bem-vinda em qualquer fase da vida, mas na gestação possui um caráter ainda mais especial, pois auxilia nas modificações corporais comuns da gestação, no aumento da liberação dos hormônios do bem-estar, sono e saciedade, além de melhorar a autoestima e controlar o ganho de peso.

Como atividade física pode-se entender qualquer movimento ou esforço que tire o corpo do repouso ou inércia. Já o exercício físico é uma atividade estruturada com função, duração e intensidade definidas.

ANTES DE ENGRAVIDAR

Para as mulheres que estão tentando engravidar, os exercícios físicos estão liberados desde que tenham orientação e supervisão de profissionais habilitados, pois alguns cuidados nessa fase também são essenciais. Quanto mais preparado o corpo estiver, menores serão os incômodos da gestação.

Enquanto não engravida, o momento é bem adequado para se experimentar várias modalidades e descobrir a que melhor se adapta à sua rotina. Porém, enquanto se está na tentativa é preciso redobrar a atenção, pois nos primeiros três meses de gravidez é recomendado que se diminua a intensidade e duração dos exercícios.

GESTANTES SEM HISTÓRICO ANTERIOR DE PRÁTICA DE ATIVIDADE FISÍCA

As mamães sedentárias que desejam começar a realização de atividades físicas precisam, além de observar se não possuem contraindicações relativas ou absolutas, procurar orientação e supervisão adequadas.

Recomenda-se para este grupo exercícios leves, de início com duração de 15 minutos em dias alternados, e que se vai aumentando a intensidade, frequência e duração de acordo com a resistência que a gestante for adquirindo. Uma boa dica é iniciar com caminhadas leves e realizar um plano de exercícios que aumentem o esforço conforme as semanas vão passando e a gestante for se adaptando ao exercício escolhido.

Para gestantes que aliam o sedentarismo ao sobrepeso, o ideal são as atividades de menor impacto, como, por exemplo, as realizadas na água, tanto aeróbicas quanto de fortalecimento.

 

Por: Pollyana Folador

REFERÊNCIAS:

1. ACOG Committee Obstetric Practice. ACOG Committee opinion. Number 267, January 2002: exercise during pregnancy and the postpartum period. Obstet Gynecol. 2002;99(1):171-3.
2. Nascimento SL, Godoy AC, Surita FG, Silva JLP. Recomendações para a prática de exercício físico na gravidez: uma revisão crítica da literatura. Rev Bras Ginecol Obstet. 2014; 36(9):423-31
3. Nascimento SL, Surita FG, Cecatti JG. Physical exercise during pregnancy: a systematic review. Curr Opin Obstet Gynecol. 2012;24(6):387-94.
4. Surita FG, Nascimento SL, Pinto e Silva JL. Exercício físico e gestação. Rev Bras Ginecol Obstet. 2014; 36(12):531-4
5. Giacopini SM, Oliveira DV, Araújo APS. Benefícios e Recomendações da Prática de Exercícios Físicos na Gestação. Revista BioSalus 2016; (1) 1-19
6. Terra DAT, Lopes RB, Caetano LF. Benefícios da reeducação postural global na lombalgia gestacional: revisão de literatura. Corpus Sci.2015; 11(2):9-16
Casa de Apoio à Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *